10 - CONCLUSÃO

Quando o Ministério da Aeronáutica - hoje Comando da Aeronáutica - foi criado, em 20 de janeiro de 1941, a situação política internacional estava deteriorada por uma guerra em intensa atividade.

Era preciso reunir e organizar os meios à disposição, implantar medidas administrativas e operacionais, criar condições para que a Força Aérea Brasileira pudesse, junto com as forças co-irmãs, ser empregada na defesa dos compromissos assumidos pelo nosso país, por ocasião das Reuniões de Consulta dos Ministros das Relações Exteriores das Repúblicas Americanas.

O comportamento do Brasil era de estrita neutralidade, mas seria muito difícil sustentar tal posição, pois a tendência de um conflito dessa natureza, é generalizar-se, e o nosso país acabou sendo envolvido por ele.

Para a Força Aérea a formação de pilotos e de especialistas para os serviços de manutenção das aeronaves tornou-se prioritária, era preciso incrementá-la.

Foi considerando tal cenário que o Ministério, à época, entre tantas medidas essenciais implementadas na área de formação de pessoal, particularmente, criou a Escola Técnica de Aviação.

Por ocasião do seu primeiro aniversário, recebeu a seguinte citação do Ministro da Aeronáutica: "Esta Escola é o maior empreendimento que poderia ser levado a efeito pelo progresso e fortalecimento da Aviação Nacional, Estamos nós seguros e certos de que esta foi a maior etapa vencida para que pudéssemos ter uma aviação condigna".

Todo esse esforço foi recompensado. Ninguém se furtou ao dever.

 

 Para imprimir

 Voltar

 Seguir