Se você não tem hipertensão  cuide para evitar.

Se você tem cuide para controlar.

Apresentado de maneira a facilitar o entendimento de pessoas leigas.

O sangue leva para nossas células todo o combustível necessário para manter a nossa vida: Açúcar (glicose), Oxigênio, hormônios e alegria.

E retira das células o lixo da combustão: Ácidos, Gás Carbônico e eventuais Tristezas.
Para realizar esse trabalho o sangue necessita circular por todo o organismo.

Assim, como todos os rios correm para o mar, o sangue corre sempre para o coração.

O sangue sai com força do coração, percorre "quilômetros" de artérias e volta ao coração trazido pelas veias.

Para que o sangue possa circular pelo corpo é necessário que uma bomba (coração) faça força (pressão) para empurrar esse sangue por dentro das artérias.

Ao passar dentro das artérias o sangue encontra uma resistência (pressão), provocada pelo atrito.

 

Quanto mais estreita a artéria, maior a resistência (pressão) à passagem do sangue.

A força do coração para bombear o sangue é chamada de pressão máxima ou sistólica.

A resistência que a artéria oferece à passagem do sangue é chamada pressão mínima ou diastólica.

Dessa forma, quando o médico diz que a sua pressão é 12 por 8, ele está informando que a pressão (força) exercida pelo coração para empurrar o sangue pelas artérias é igual a 12 milímetros de mercúrio (mmHg) e que a pressão (resistência) que suas artérias estão oferecendo à passagem do sangue é de 8 mmHg.

A pressão máxima tem que ser sempre maior do que a mínima para que o sangue possa circular. Não existe pressão de 8 por 12, nem de 6 por 10, porque se a mínima for maior do que a máxima o sangue não circula.

A pressão arterial depende da largura (calibre) da artéria. Artérias com calibres normais permitem que as pressões máximas e mínimas sejam também normais. Se o calibre da artéria se estreitar, aumenta o atrito do sangue e a pressão mínima; o coração terá de fazer mais força para empurrar o sangue dentro da artéria, aumentando a pressão máxima.

ARTÉRIA ESTREITA 

PRESSÃO AUMENTADA

ARTÉRIA NORMAL 

=

PRESSÃO NORMAL

Veja os exemplos:

Nesse caso, a força que o coração faz - pressão máxima - está normal porque a artéria tem calibre adequado e não faz grande resistência à passagem do sangue (pressão mínima normal). 

Quando o calibre da artéria fica reduzido aumenta a resistência à passagem do sangue e, conseqüentemente, se eleva a pressão mínima. Quando a pressão mínima se eleva, o coração tem que fazer muito mais força para empurrar o sangue e, conseqüentemente, se eleva também a pressão máxima.

 

A hipertensão arterial (ou pressão alta) tem a sua origem no estreitamente do calibre das artérias (e conseqüente aumento da pressão), o que obriga o coração a também aumentar a sua pressão para poder empurrar o sangue para dentro destas artérias estreitadas. 

Não se conhece até hoje o motivo pelo qual as artérias ficam mais finas. Enquanto não se descobrir esse motivo, não haverá cura para a pressão alta.

Os remédios para pressão alta têm a finalidade de dilatar a artéria, fazendo com que ela volte para seu calibre normal.

Quem tem pressão alta deve tomar seus medicamentos regularmente. Não adianta tomar medicamentos durante um certo tempo e achar que está curado - NÃO ESTÁ.

Quando a pessoa para de tomar os medicamentos a pressão volta a ficar alta. Isto acontece porque o remédio não está atuando sobre a causa da hipertensão (não se sabe qual é), mas sim sobre seus efeitos (o estreitamento da artéria).

Quem tem pressão alta geralmente pode, a critério médico, deixar de tomar remédios (e manter sua pressão normal) se:

 

1 - Reduzir o peso corporal e mantê-lo normal.

2 - Praticar exercícios físicos aeróbicos regulares (de preferência todos os dias) por, no mínimo, trinta minutos.

3 - Usar bebida alcoólica com muita moderação.

4 - Nunca fumar.

5 - Evitar alimentos com muito sal e gordura.