O HOMEM & a Libido

Dr. Mário Pedro(*)

Durante o ato sexual, o homem ejacula na genitália da mulher milhões de espermatozóides. Parte dessas células carregam o cromossoma X e outra parte o cromossoma Y.

Quando o espermatozóide Y fecunda o óvulo, está criado o homem. O homem é XY, uma vez que todos os óvulos carregam apenas o cromossoma X. A mulher, portanto, é XX.

Quando o embrião porta o cromossoma Y ele desenvolverá os testísculos e o pênis. A genitália masculina é determinada, portanto, pelo cromossoma Y.

Ao nascer, o menino tem o pênis e os testículos pequenos, infantis e esses órgãos permanecerão assim até a puberdade.

A puberdade dos meninos ocorre um pouco depois da puberdade das garotas. Entre os 12 e 17 anos os testículos que, até então, produziam o mínimo de testosterona, começam a lançar na corrente sanguínea dos rapazes enorme quantidade de hormônio. É a puberdade, período de transição entre a infância e o homem adulto.

Começam a aparecer naquele corpo imberbe, as características secundárias da masculinidade. Crescem o pênis e os testículos; a musculatura se define; aparecem os pêlos pubianos , axilares, no peito e no rosto. E explode a libido. O rapaz só pensa e respira sexo. Toda hora e todo momento. É a época em que mais precisa de orientação para aprender a administrar os erros comuns dessa fase: provocar a gravidez na adolescência da namorada e as doenças sexualmente transmissíveis.

Essa modificação corporal é, entretanto, motivo de ansiedade para muitos pais. Porque seu filho já tem, por exemplo, 15 anos e seu pênis é infantil, enquanto um primo da mesma idade, já tem pênis adulto.

Calma! O início da puberdade é diferente de garoto para garoto. Em uns ocorre aos 12, em outros aos 16 e 17 anos. E o corpo só se modifica quando o testículo aumenta a produção de testosterona.

E, sob essa condição ótima, o homem chega até os seus 40-45 anos.Sexualmente bem: libido, ereção e ejaculação perfeitas.

A partir dessa idade, os testículos começam a diminuir sua produção diária de hormônio, e os senhores começam a sentir declínio da sua sexualidade. A libido diminui, a procura por sexo fica espaçada, a ereção perde qualidade e a resposta corporal às situações eróticas demora mais.

É a andropausa, climatério masculino ou Declínio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM), como a ciência classifica.

O homem também fica mais triste, mais irritado, mais emotivo, com menos capacidade de trabalho, perda da memória e da concentração, fica avesso às atividades sociais e de lazer.

Alguns homens sentem mais essas diferenças, outros nem as percebem.

Para aqueles que sofrem os sintomas da andropausa, uma solução: a reposição hormonal. Feita, sob orientação médica, tem sua melhor administração pela via injetável e que varia de injeções quinzenais até trimestrais, propocionando ao usuário retorno à sua performance sexual satisfatória.

Um cuidado: a próstata. É na andropausa que a próstata, órgão que produz parte do líquido seminal, começa a crescer e ser o sítio do câncer. A reposição hormonal pode estimular as doenças prostáticas; por isso a orientação do andrologista é fundamental. E, independente da reposição hormonal, os homens maiores de 45 anos, devem procurar o médico anualmente, para prevenção do câncer de próstata.

Como diz o nome: prevenção do câncer de próstata, o tumor mais freqüente do homem. Detectar precocemente a doença, porque nessa fase, ela tem cura.

Não precisa ter sintomas, como dificuldade para urinar, por exemplo, para fazer o exame que tanto constrange os machos: o toque retal. Deve-se ir ao urologista, de rotina, uma vez por ano.

E, dessa forma, vamos envelhecendo. O IBGE faz uma projeção populacional de que no ano 2050 haverá no Brasil 5 milhões de homens com mais de 80 anos. Muitos desejosos de uma vida sexual ativa; homens idosos com ereção menos rígida, libido diminuída, freqüência sexual espaçada, mas exercendo bem sua sexualidade, inclusive sendo fértil.

A felicidade sexual está à disposição de todos os homens e de todas as idades para isso existem a reposição hormonal, as drogas eretoras orais e injetáveis, os implantes de prótese peniana e o objeto natural da sexualidade masculina: as mulheres.

(*) - Dr. Mário Pedro dos Santos. Urologista - Andrologista.

= Observação do 'postador': = Agradecemos à contribuição do Dr. Mário Pedro pelo esclarecedor artigo, escrito especialmente para a seção Saúde do RESERVAER. O Dr. Mário Pedro dirigiu a clínica de Urologia do HFA no DF, trabalha no Hospital de Base de Brasília, participa de vários programas e entrevistas na TV Brasília (Canal 6), entre outras emissoras. Seu livro "SEXUALIDADE MASCULINA - Verdades e Mentiras", pela Editora Thesaurus, Brasília, 2008, em 2ª edição, está a disposição dos interessados.